Saúde mental de mulheres que trabalham é a mais afetada pelo isolamento social

Leia também

Adotado em vários países do mundo para ajudar a conter a disseminação do novo coronavírus, o isolamento social – que inclui, também, o regime de home office remoto nas empresas – começa a cobrar sua conta na saúde mental das pessoas. E um grupo em particular tem sofrido mais: o de mulheres que trabalham. A descoberta aparece em um estudo da Universidade do Estado do Rio (UERJ).

Publicado online pela The Lancet, embora ainda sem revisão, o levantamento mostrou que os casos de ansiedade e estresse mais do que dobraram entre toda a população; os de depressão, por sua vez, cresceram 90%. As mulheres são mais propensas a sofrer com ansiedade e depressão durante a epidemia, em especial as que continuam trabalhando, porque se sentem ainda mais sobrecarregadas com o acúmulo de tarefas domésticas e cuidados com os filhos.

Outros fatores de risco – também para os homens – são alimentação desregrada, doenças preexistentes e a necessidade de sair de casa para trabalhar. Quem precisam sair de casa durante a quarentena, como entregadores, funcionários de transporte público e supermercados e profissionais de saúde, tem, em média, indicadores de depressão e ansiedade mais elevados que os de quem está em casa, segundo os autores. No caso da depressão, as principais causas são a idade avançada, o baixo nível de escolaridade e a o medo de passar a infecção para pessoas mais vulneráveis.

A pesquisa foi feita entre os dias 20 de março e 20 de abril. Nesse intervalo, 1.460 pessoas, de 23 estados, responderam a um questionário online com mais de 200 perguntas. O trabalho é coordenado por Alberto Filgueiras, do Instituto de Psicologia da UERJ, com Matthew Stults-Kolehmainen, do Hospital Yale New Haven, nos Estados Unidos.

Os resultados sugerem um agravamento da situação desde o início da epidemia. A proporção de pessoas que relataram sintomas de estresse agudo passou de 6,9% na primeira etapa da coleta de dados (entre 20 e 25 de março) para 9,7% na segunda (de 15 a 20 de abril). Entre os casos de depressão, o salto foi de 4,2% para 8%. A crise aguda de ansiedade pulou de 8,7% para 14,9%. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), os percentuais médios na população esperados para estresse, ansiedade e depressão são 8,5%, 7,9% e 3,9%, respectivamente.

Clique aqui e leia no Vida de Empresa histórias sobre como as companhias estão enfrentando o coronavírus.

- Publicidade -

Outras notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -

Mais recentes

Lo mejor Alternativas a Utilizar CityXGuide.com Para conocer en general Mujeres

En el caso de que regularmente dedique algún tiempo a CityXGuide.com comprando proveedores cumplir luego definitivamente debería ver el película. Este video...

The simple truth is Shag.co.uk Is Not A Legit As It Seems To Be

Site Details: Table Of Contents Review Contained in this analysis we'll digest all reasons why Shag.co.uk actually genuine. Whenever we say one thing actually real we...

Willow recensione – cosa fare esattamente sappiamo tutti su qualcuno di esso?

Incontri programmi diventati standard nel nostro tutti i giorni vite fisiche. Adesso, have many online dating programs disponibile per la vendita per...

6 質問がディスカッションをスパークさせる最初の日付

最も重要 日付 懸念 傾向がある 絶対に 要求が厳しい! それでも 難しい 十分 準備 一緒に夜を過ごすしかし考える 何をする 話す たくさん 検討する。 それはあなたです 可能性 確認する この人 良い 素晴らしい方法である可能性があります。 あなたは...

LatinoMeetup Évaluation 2021

C'est bien connu que les Latino females et men serait le les personnes les plus chaudes les gens de globalement, et est...